Série: Sons of Anarchy

By 31 de maio de 2017Série

Não consigo mais nem lembrar como era minha vida antes de tantas séries, gratidão eterna pela Netflix. Sons of Anarchy foi uma surpresa pra mim, como ela não é tão falada nas rodinhas, ela passava despercebida pelo catálogo. Mas depois de alguns amigos falarem tão bem dela, comecei a assistir e é isso que você precisa, dar uma chance e se encantar.

Como nas outras resenhas sobre séries, prometo tentar ao máximo não dar spoilers, apenas tentar te convencer a assisti-lá, porque é isso que eu faço quando gosto de uma série: quero que todos vejam também.

Pra começar, dê play aqui aqui em baixo já pra entrar no clima e leia o post com a abertura da série que é de arrepiar. SOA foi escrita para ter apenas uma temporada, mas devido ao entrosamento da equipe e a aceitação lá fora, a série teve 7 temporadas, num total de 91 episódios.

O bom da não assistir uma série ‘modinha’ e que já acabou sua exibição, é que você não corre o risco de abrir a internet, abrir o Twitter e ser bombardeado com spoiler e com comentários que entregam tudo o que aconteceu. Ela sai da Netflix no dia 1º de Julho/17 e abaixo eu quero te convencer que você tem exatamente um mês para começar a maratona. Não vai faltar muita adrenalina, sexo, suor e mortes sangrentas e imprevisíveis.

Trilha sonora
Logo eu, apaixonada por música nacional, fascinada por um sertanejo sofrência me peguei pesquisando músicas de Rock no Youtube por diversas vezes, afinal, SOA me conquistou por inteira. A trilha sonora da série é incrível, mas não é só isso, elas se encaixam perfeitamente e no momento certo de cada cena. As minhas preferidas, Hey Hey My My, The Whistler e Lost Boy.


Início, meio e fim

Nada pior que chegar ao fim de uma série e ter que esperar um ano na tensão. SOA estreou em 2008 no Brasil e sua exibição já acabou faz tempo. Outra coisa que não vemos em SOA é enrolação de roteiro, normalmente os diretores esticam a série a ponto delas ficarem chatas. Nessa série, não temos momentos de altos e baixo é tensão a todo tempo.

A irmandade
Imagina juntar um monte de fora da lei, com cara de mau por uma boa causa? Com o tempo, você percebe que não há nada mais forte que a união entre eles. Porque mais do que encarar altas aventuras, o clube é firmado com laços de irmandade, companheirismo e amizade. Durante a série, vários símbolos de união são mostrados, como a tatuagem que todos fazem ao entrar no grupo.

Mortes
Uma dica: Tipo em The Walking Dead, não se apague a ninguém, pois o autor não tem coração e vai destruir sempre quem você menos espera e de uma forma que você não imagina. Em toda temporada elas acontecem, mas ninguém morre de bobeira, sempre tem um motivo, um bem maior. Mas vem cá, série boa mesmo é aquela que faz a gente quase morrer junto e sofrer bastante né?

Jax x Clay
Jax é filho de um dos criadores (já morto) do grupo e Clay, outro criador do grupo se casou com a mãe de Jax. O padrasto é o presidente e o entiado, o vice. Só por esse resuminho dá pra saber que é uma relação de amor e ódio, não? Tretas não faltam.

Mulheres no poder
Gostamos de empoderamento feminino sim e nessa série ele é bem real. Gemma, a matriarca da família, apesar de ter uma ideias tortas e uns conselhos duvidosos, sabe cuidar da família, da casa e de todo o clube.

Para os homens que acompanham o blog, muito obrigada por seu clique, mas podem parar por aqui, até a próxima.

Galãs barbudos
Não poderia deixar de falar desse detalhe, jamais. Pra galera que se amarra num barbudão essa série vai te deixar ba-ban-do. Um bad boy, com cara de bravo, jeans surrado, barba por fazer e um bom coração, faz bem pra vida.

Veja outras resenhas de séries aqui no blog

Eu, tu e ela
Prison Break
Grey’s Anatomy
Gilmore Girls